About Shoichi Iwashita

http://www.simonde.com.br

Posts by Shoichi Iwashita:

Saint-Barth: A ilha branca e bilionária do Caribe, onde a principal atividade econômica não é o turismo

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Três horas e meia de voo separam o rigoroso inverno nova-iorquino de fevereiro do verão-o-ano-todo de Saint-Barthélémy, essa ilhota de vegetação árida — e de praias menos bonitas que as das ilhas vizinhas, preciso dizer —, que se transformou no porto seguro de algumas das pessoas mais ricas e famosas (seguidas alpinistas sociais) do mundo, onde o turismo de massa não tem vez (nem as grandes redes de hotéis de luxo estão aqui). São Bartolomeu – assim como Saint-Tropez vira para os franceses “Saint-Trop” (os franceses adoram diminutivos), Saint-Barthélémy é “Saint-Barth”, ou ainda em inglês, “St. Barts” — não só é território francês mas praticamente a extensão da Côte d’Azur no Caribe (não raro você vai encontrar os mesmo superiates aportados em Cap d’Antibes em junho e aqui durante o inverno no hemisfério norte). Porque se chegar à França metropolitana — Paris, depois Marseille — para começar a viagem pela Riviera Francesa é se deparar com gente de todas as cores, roupas, etnias, línguas e culturas, basta sair da cidade mais antiga do país Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Qual é a relação entre o Cipriani, o Harry’s Bar, o Harry Cipriani e o Cipriani Downtown?

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Apesar de terem conquistado o mundo, a origem do império Cipriani — e também da rede de hotéis, trens e cruzeiros de luxo Orient-Express, hoje Belmond — é uma só: Veneza e o Harry’s Bar, inaugurado 1931 pelo commendatore  Giuseppe Cipriani. Bar simples, mítico, imperdível — e desde 2011, Patrimônio Histórico Nacional —, onde foram criados o carpaccio  e o bellini  (e que prepara um ótimo Dry Martini servido num copinho de shot, numa proporção super-dry  intitulada Montgomery com azeitonas à parte, e um ainda aconchegante minestrone  que combina perfeitamente com uma Veneza escura e nublada), Giuseppe abriu o Harry’s Bar com o dinheiro que um rico norte-americano, Mr. Harry Pickering, lhe deu quando ele era barman  do muito bem frequentado Hotel Europa (conta lenda que a família de Pickering cortara sua mesada e foi Giuseppe quem lhe emprestou dinheiro, devolvido anos depois com juros bem generosos). E até hoje o Harry’s é administrado pelo Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Cruzeiros fluviais: Quando o foco não é só o navio, mas também os destinos #publi

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Água é vida. Do Cairo a Paris, passando por Manaus, Viena e Moscou, grande parte das cidades milenares do mundo nasceu à beira dos rios. E muitos desses rios vão muito além das fronteiras políticas: além do Reno (cuja nascente está na Suíça, mas desemboca no Mar do Norte, na Holanda) e o Mekong (que começa no Vietnã, passa pelo Camboja e o Laos até chegar à China), o Danúbio, ao longo dos seus quase três mil quilômetros de extensão, cruza dez países na Europa, incluindo mais de 70 cidades e quatro capitais nacionais (Viena, Bratislava, Budapeste e Belgrado). Diferentemente dos cruzeiros marítimos, em que muitos passageiros consideram o navio como destino (e sequer descem durante as paradas), nos cruzeiros fluviais o grande destaque é a programação das cidades. Por isso, espere paisagens diferentes todos os dias (nunca você vai passar o dia todo vendo água por todos os lados), conforto e espaço nas cabines (pense em banheiros de mármore, walk-in Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


O guia definitivo para dirigir na França: Pode beber e dirigir?, as estradas mais bonitas, GPS, pedágios, combustível

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

A tentação é grande de alugar um carrão  conversível para percorrer as estradinhas cenográficas e ensolaradas da região da Provence e Côte d’Azur com aquela liberdade que só o dirigir permite para fazer as coisas no seu tempo, explorar as paisagens, ir e voltar na hora que quiser. Mas acredite, se você quiser dirigir pelas áreas medievais, tantos os vilarejos quanto as regiões antigas e centrais das cidades, alugue um carro pequeno. Ainda assim é inevitável a apreensão em muitas ruelas, tão estreitas que nos fazem duvidar de que o carro possa passar por ali, tão curvas que se torna impossível vislumbrar uma saída (e com capacidade para receber 0,8 da largura de um carro, reze para não ter ninguém vindo na direção contrária; isso quando elas não estão à beira de enormes precipícios).

dirigir-franca-provence-cote-d-azur-aluguel-de-carros-pedagio-combustivel-estradas-mais-bonitas-1000-7Nos vilarejos, as ruazinhas – sem calçadas – podem ser ainda mais estreitas que essa. Imagem: Shoichi Iwashita

PRECISO MESMO DE UM GPS NO CARRO? S-I-M!

dirigir-franca-provence-cote-d-azur-aluguel-de-carros-pedagio-combustivel-estradas-mais-bonitas-1000-3Mesmo que você esteja com acesso a internet pelo celular através de um SIM card  local e conseguindo usar o Waze ou o Google Maps, sempre alugue o carro com GPS, pois no meio da viagem quando você estiver para pegar aquela outra estrada à direita, pode ser que aconteça de o sinal do celular desaparecer, o Maps não atualizar e, aí, adeus chegar ao Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Campos de lavanda na Provence: Tudo o que você precisa saber para chegar neles

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Enquanto eu dirigia sozinho pela estreita D6 (estrada departamental), com os vidros do carro abertos, sentindo o vento e o sol do verão mediterrâneo (essa luz que encantou pintores impressionistas como Cézanne e Van Gogh), escutando as músicas da Tal Benyerzi e vendo — e sentindo o suave aroma (eu achava que ia ser meio enjoativo) — daqueles enormes campos de lavanda no auge da floração, com as montanhas ao fundo, a sensação era a de que eu tinha chegado ao paraíso, a de que eu não estava mais na Terra. Em mais um dos nossos passeios pela Provence, a seguir tudo o que você precisa saber para ter a melhor experiência ao redor desta flor, cujo óleo essencial é usado há milênios na beleza e no bem-estar, e que também é usada na gastronomia (não deixe de provar o sorvete de lavanda, que é companheiro perfeito para enfrentar o calor provençal, o mel, ou ainda o crème brûlée à la lavande  em algum restaurante).

QUANDO VISITAR

provence-campos-de-lavanda-sault-valensole-1200-2-1As flores da lavanda (lavande fine, em francês, mais rara e selvagem, cujo óleo essencial é aproveitado na perfumaria) e do lavandim (lavandin, na foto acima, usado para produtos menos nobres como sabonetes) não florescem na primavera europeia (de 21 de março a 21 de junho), mas sim no começo do verão, mais especificamente nos últimos dias de junho até por volta de 10 de julho. Como a colheita começa por volta da metade do mês (no ano de 2016 começou no dia 15 de julho, mas a data de início depende da meteorologia, da Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Cipriani: Dos hotéis míticos do mundo, o mais completo de Veneza (e um sonho de hotel)

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Depois de me hospedar no Cipriani em Veneza e no Brenners Park em Baden Baden, eu definitivamente vou precisar criar uma categoria hotéis-míticos-e-com-alma-que-sobreviveram-bem-ao-tempo. Distante na medida certa da confusão claustrofóbica das hordas de turistas em Veneza, o Cipriani é praticamente um oásis que ocupa a ponta da ilha de Giudecca, que dá de frente para San Marco (jantar no terraço de um dos restaurantes do hotel, o  Cip’s Club, com vista para tout Venise  é uma experiência imperdível até para quem não está hospedado, e ainda tem uma das melhores tartes tatin  que já comi na vida; você vê nas fotos no fim da matéria). Mas não só: qual hotel do mundo possui funcionários — há décadas trabalhando lá — que são personagens tão míticos quanto o Cipriani? (O barman  Walter Bolzonella é amigo de várias figuras de Hollywood incluindo o ator George Clooney; e na cidade que abriga alguns dos eventos de arte mais importantes do mundo, as Bienais de Arte e Arquitetura e o Festival de Cinema, espere sempre encontrar Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Penelope Cruz é – uma belíssima – Donatella Versace em nova temporada de American Crime Story

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

O assassinato do estilista Gianni Versace no portão de sua mansão, a Casa Casuarina na Ocean Drive em Miami Beach, quando ele voltava do café da manhã no News Cafe, chocou o mundo em 1997. E esse é o tema da terceira temporada da premiada American Crime Story, uma série de casos baseados em fatos reais — cada temporada é um caso — que já contou a história do ex-jogador de futebol americano The People versus O.J. Simpson e, em breve, retrata os efeitos do furacão Katrina em Nova Orleans. A estreia de Assassination of Gianni Versace está prevista para 2018 e o elenco não poderia ser mais incrível: Penelope Cruz, platinadíssima, como Donatella Versace, a irmã que assumiu o império de Gianni; Ricky Martin faz as vezes de Antonio d’Amico, o marido do estilista; e Edgar Ramirez tem o papel principal. Muitas das cenas foram gravadas na própria Casa Casuarina, que hoje abriga um residence  e um restaurante. Mal posso esperar.

LEIA TAMBÉM:

— Tributo Versace para a Client, por Didio

Arte-Banner-Instagram-Divulgacao-10

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Vinícola Guaspari: Visitando, em São Paulo!, um dos melhores vinhos do Brasil, reconhecidos internacionalmente

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Da mesma maneira que um dia me surpreendi quando conheci o café baiano de Piatã, considerado há anos o melhor do Brasil, foi um choque depois de algumas taças me dar conta de que um dos melhores vinhos brasileiros — brancos e tintos — é um vinho PAULISTA cujos vinhedos estão a duas horas de carro da cidade de São Paulo (!!!), na Serra da Mantiqueira, região conhecida pela produção de café desde o século 19. Por isso hoje é dia de superar o seu preconceito com os vinhos brasileiros; e hora de passar por cima do seu preconceito — que nem existia — com os vinhos paulistas.

Na propriedade de uma família antiga e muito rica que comprou em 2001 duas centenárias — e belíssimas — fazendas de café que somam 800 hectares em Espírito Santo do Pinhal, bem na divisa com Minas Gerais, não foram medidos esforços em conhecimento e tecnologia para a produção de vinhos de variedades francesas como sauvignon blanc, chardonnay, Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Hôtel de Crillon, um dos icônicos palaces de Paris, já tem data de reabertura

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Construído a pedido do rei Louis XV, as janelas e as colunas imponentes do Crillon viram as cabeças do rei Louis XVI e de sua esposa, Marie-Antoinette, rolarem na Place de la Concorde em 1793. Ocupando uma parte dos dois edifícios com fachadas idênticas na Praça da Concórdia (a hoje Place de la Concorde, antigas Place de la Révolution e Place Louis XV; os nomes iam mudando conforme as mudanças políticas), o Crillon, inaugurado como hotel em 1909, é um dos mais antigos e luxuosos do mundo. E depois de quatro anos fechado para reforma (era para ser dois anos inicialmente), um dos hotéis palace  de Paris reabre no dia 5 de julho de 2017, agora sob a bandeira da rede nascida-texana-devenu-honcoguesa Rosewood Hotels  & Resorts (mas o prédio pertence à família real saudita). Ou seja, depois de Mandarin Oriental, Shangri-La e Peninsula, o Rosewood será o quarto hôtel palace  parisiense — de onze — Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Aix-en-Provence: Mercados a céu aberto, arquitetura burguesa, dança contemporânea, Cézanne e piscina

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Diferentemente de outras cidades na ensolarada Provence, como Arles ou Nîmes, e apesar de também ter sido fundada pelos romanos com o nome de Aquae Sextiae (por conta das águas termais que até hoje brotam em algumas de suas inúmeras fontes), em Aix-en-Provence você não encontrará ruínas romanas; está tudo enterrado. Mas, ainda assim, la ville aux mille fontaines  (a cidade das mil fontes, como se referia à Aix Jean Cocteau); dos muitos e coloridos mercados nas praças medievais (de flores, de frutas e legumes, de peixes, de artesanato — tem todos os dias — e a Provence é considerada “a horta da França”); e também sede de uma das minhas companhias de dança preferidas (o Angelin Preljocaj, que ocupa o Pavillon Noir, edifício contemporâneo de concreto e vidro assinado por Rudy Ricciotti, o mesmo do MUCEM de Marseille) e de um dos festivais de ópera mais importantes do mundo (o Festival d’Aix-en-Provence, tipo, imperdível), Aix é uma das cidades mais famosas e queridas — e foi das mais importantes — não só do condado independente da Provence, de que era a capital (a Provence só é anexada à França no século 15, em 1481), mas também do hexágono que ajudou a formar (“l’Héxagone” — essa figura geométrica de cinco pontas e seis lados — é um dos apelidos da França).

HOTÉIS DE CHARME DISTANTES DO CENTRO; AFINAL, ONDE FICAR?

aix-en-provence-franca-france-o-que-fazer-dicas-como-chegar-1100-46Mas apesar de sua história como principal cidade da região por muitos séculos, de sua ligação com a arte (o pintor pós-impressionista Paul Cézanne, conterrâneo do escritor Émile Zola, nasceu e morreu aqui), e de sua arquitetura (são centenas de hôtels particuliers  no coração da cidade, rivalizando em número com Paris, apesar de sempre ter tido Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


SIGA A SIMONDE

Interaktiv
Wordpress SEO Plugin by SEOPressor