About Shoichi Iwashita

http://www.simonde.com.br

Posts by Shoichi Iwashita:

Taiti e suas ilhas: Quando ir, o melhor jeito de chegar (e de viajar entre ilhas), os hotéis e quanto custa viajar para um dos destinos mais fascinantes do mundo

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Quando eu morava em Londres no fim dos anos 1990, me sentia no centro do mundo. A duas horas e quinze minutos de Paris com o Eurostar, a três horas e meia de Nova York voando Concorde, a 12 horas de voo de Tóquio ou de São Paulo. Mas depois de ver ingleses e franceses reclamando da distância e do tempo de viagem (comum para nós, brasileiros, em qualquer viagem para a Ásia), percebi que a Polinésia Francesa está longe para todo mundo… E até entre os polinésios. As 118 minúsculas ilhas que formam esta coletividade ultramarina da França (o mesmo status têm as ilhas caribenhas Saint-Barth e Saint-Martin) estão espalhadas pelo Oceano Pacífico ocupando uma área maior que o continente europeu. Isso quer dizer que para ir do Taiti, a maior e principal ilha da Polinésia Francesa, onde fica a capital Pape’ete, para Nuku Hiva, no arquipélago das Marquesas, onde está a Polinésia em seu estado mais rústico, você vai passar quatro horas  no avião! (Já um voo entre Mangareva, uma das ilhas mais ao sul e com uma população de apenas 1.200 habitantes, e Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Padoca do Maní: Café da manhã o dia todo, e pães e bolos e sucos e comidinhas do jeito que a gente gosta

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Com apenas 24 lugares sentados, é bem prudente evitar os fins de semana pela manhã, a não ser que você não  acorde com fome e não  se importe em ficar esperando trinta minutos ou uma hora por uma mesa, em pé, na calçada, sem lista de espera. Durante a semana, para tomar café da manhã de manhã  (quando os restaurantes da Joaquim Antunes ainda estão fechados para almoço e os manobristas ainda não estão trabalhando), também vai ter problema para parar o carro: a Padoca do Maní não tem serviço de manobrista, não tem estacionamento próximo, a estação de metrô mais próxima é a Fradique Coutinho (a 700 metros), é proibido parar o carro na movimentada rua e, nas ruas adjacentes, as vagas são concorridas (você vai precisar dar voltas e mais voltas). Parar o carro é um motivo de estresse já na chegada (e com fome, a irritação aumenta ainda mais). Por isso, o melhor jeito de chegar à Padoca do Maní é de táxi ou Uber. {Conheça o manifesto Simonde do café da manhã perfeito, clicando aqui.}

Mas uma vez lá, durante a semana e com uma mesa, é só se deixar apaixonar pelo ambiente, pelas comidinhas expostas no pequeno salão — bolos, salgados e pães, tudo feito na casa — e pelo café da manhã (ou da tarde) mais charmoso de São Paulo. No cardápio, Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Brenners Park-Hotel: Um dos melhores e mais antigos hotéis do mundo tem tudo a ver com saúde, com spa médico completo e até kombucha no frigobar

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Quando cheguei e vi um gato em cima do balcão da recepção já perguntei: “todo hotel Oetker tem um gato de estimação, é isso?” (o Bristol em Paris tem o Fa-Raon, mas ele tinha uma companheira, a Kléopatre, que não estava se dando muito bem com ele e ganhou nova casa, dessa vez em Baden-Baden). Dom Pedro II se hospedou aqui com sua família em 1887. Nasser-ed-Din, o xá da Pérsia, em 1889. Um dos melhores hotéis do mundo fica em uma cidadezinha alemã com, hoje, 55 mil habitantes {enquanto isso a maior e mais rica cidade da América do Sul, com população de 12 milhões, segue sem um hotel Simonde; mas conheça o melhor bairro e as boas opções de hospedagem de São Paulo, clicando aqui}. Com a localização mais mágica de Baden-Baden — e em um dos lugares mais lindos do mundo {saiba o que você não pode deixar de fazer em Baden-Baden, clicando aqui} —, este hotel fundado em 1872 foi o primeiro da  Oetker Collection (e segue sendo sua sede, apesar de serem deles também o Bristol, um dos palaces  de Paris, e o Lanesborough, de Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Belle Époque: Hotel de charme na melhor localização de Baden-Baden, sem restaurante, mas com belo jardim

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Uma linda e elegante casa do fim do século 19 situada em uma rua praticamente residencial, a cinco minuto s a pé do centro de Baden-Baden e a 250 metros da Lichtentallerallee, se transformou no Belle Époque: um hotel pequeno, aconchegante, decorado com móveis antigos (nem sempre bem conservados), sem restaurante (nos salões só são servidos os ótimos café da manhã, o chá da tarde e drinques o dia todo, em mesas elegantemente decoradas, mas dá para almoçar e jantar no outro hotel do mesmo dono, o Der Kleine Prinz — o hotel oficial do Pequeno Príncipe! —, a dois minutos daqui, na própria rua, ou ainda no Brenners, a uma quadra), mas com um jardim-com-fonte  daqueles que nos dão vontade de passar a vida lendo a obra completa de Balzac. Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Frick Collection: Como o homem mais odiado da América construiu uma fabulosa coleção de arte em Nova York

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Essa é uma história que você não vai  escutar durante sua visita ao museu. Porque ele foi o homem mais odiado da América. E com razão. Henry Clay Frick, junto com o outro magnata do aço, Andrew Carnegie (sim, do Carnegie Hall), foi responsável pelo rompimento de uma barragem que resultou na destruição de 1600 casas no vilarejo de Johnstown matando mais de 2200 de seus habitantes em 1889 (o maior desastre causado pelo homem da história dos Estados Unidos antes do ataque ao World Trade Center em 11 de setembro de 2001). Em 1892, durante uma greve na fábrica de Homestead, uma época pré-direitos trabalhistas, quando empregados trabalhavam seis dias por semana e doze horas por dia na árdua e perigosa indústria do aço (um cochilo no trabalho poderia ser mortal; e para aumentar os lucros, eles queriam reduzir ainda mais os salários e aumentar a carga horária), Frick contrata a Pinkerton, uma agência de detetives mercenários — que possuía um efetivo maior que o exército norte-americano e existe até hoje! — para Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Das Lied von der Erde: A Canção da Terra, poemas chineses do século 8 musicados pelo grandioso Mahler

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Algumas das mais belas obras de arte da história nasceram da dor humana. Quando Gustav Mahler, soberano da música vienense da virada do século 19 para o século 20 — um dos gigantes da música austro-húngara junto com Richard Strauss e autor de nove sinfonias e meia (ele não concluiu a Décima) —, compôs Das Lied von der Erde, entre 1908 e 1909, ele ainda ressentia a sua saída, em 1907, da Ópera da Corte de Viena (a mais alta posição da música centro-europeia), da qual era diretor havia dez anos, por conta da perseguição antissemita (estamos na Europa pré-Primeira Guerra, o Império Austro-Húngaro ainda está firme e forte — por isso a ópera era “da corte” — e o prefeito de Viena da época, Karl Lüeger, que culpava os judeus pelos problemas econômicos causados na verdade pelo capitalismo, já era um dos ídolos do ainda jovem Adolf Hitler; isso porque Mahler já havia se convertido ao catolicismo em 1897 para assumir a Ópera de Viena). Além disso, suas Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Pousada Etnia: Casinhas étnicas (mas com alma baiana) em meio a um grande jardim a 350 metros do Quadrado

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Um dos antigos atrativos da Pousada Etnia era a segunda unidade à beira-mar, que oferecia estrutura de praia completa aos hóspedes da Etnia-centro (sem acesso à praia, mas com piscina). A filial mar fechou {e você pode frequentar as ótimas barracas de praia que gente indica aqui} mas a pousada principal segue sendo uma ótima opção de hospedagem em Trancoso já que ela fica na estrada-rua que leva ao Quadrado, a 350 metros da praça (ou seja, dá para ir e vir do Quadrado a pé), e neste percurso estão vários dos nossos lugares favoritos no vilarejo: os vinhos e cervejas do empório Marché (na mesma rua, a 90 metros), os sanduíches do Dom, o café do Santo, a livraria Nobel, o bar do Jacaré do Brasil… {Clique aqui e confira o nosso guia de comidinhas de Trancoso} Apesar de a pousada não contar com espaço para a prática de exercícios, basta atravessar a rua para encontrar uma agradável e bem equipada academia que você pode usar pagando a diária (e dá para Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Uxua: O hotel invisível por fora, sem portas e sem chaves, que é uma das experiências mais autênticas de Trancoso e do mundo

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Um hotel-ícone que é invisível por fora (não tem placa ou qualquer indicação), em que os quartos não têm portas (tá, eles até têm mas você só vai descobri-las mais tarde, quando as camareiras fizerem a abertura de cama), sem recepção e onde você não recebe uma chave no check-in. Um hotel que está na melhor localização de Trancoso (e ao lado do restaurante que serve a melhor moqueca do universo, a Silvana & Cia.), com arquitetura completamente integrada à vegetação — incluindo uma linda piscina de aventurina, um quartzo verde terapêutico e nativo da Bahia —, decoração elegantemente rústica (não existe um canto sequer, por menor que seja, que não tenha sido pensado) e sustentável na essência (não há absolutamente NADA de plástico exposto em todo o hotel: o saco de lixo do banheiro é de papel, os amenities  — do repelente ao sabonete líquido — estão em recipientes de cerâmica, e atenção: não disponíveis para você levar embora). E as poucas coisas como Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Pousada Tutabel: Excelente estrutura e comida, máxima segurança e praia privativa ao sul de Trancoso

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Em mais de vinte anos indo para Trancoso, eu nunca havia dormido ouvindo da cama as ondas do mar. E, apesar de estar afastada do Quadrado, a 15 minutos de carro dirigindo a 40 km/h pela mesma estrada de terra esburacada que nos leva à Praia dos Coqueiros, é essa a experiência que entrega a mais sofisticada das pousadas do nosso guia de Trancoso (mas de uma sofisticação meio urbana, à la  paulistana…): a Pousada Tutabel ocupa uma faixa praticamente privativa e deserta de praia de 400 metros de comprimento; os quartos muito espaçosos — o menor, Pitanga ou Sapoti, tem 60 metros quadrados — ficam em casas com acabamentos impecáveis (é impressionante o trabalho das portas e janelas, várias camadas feitas com muita madeira maciça); a comida é deliciosa e saudável, do jeito que a gente gosta (a Tutabel possui um chef  inteiramente à disposição dos hóspedes), preparada com ingredientes orgânicos plantados lá mesmo (a pousada ocupa uma área enorme de 200 mil metros quadrados), sendo que no café da manhã — um dos destaques definitivos da minha hospedagem — os queijos e frios são apresentados de um Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Simonde está em viagem: Umbria e Marche

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Hoje estou embarcando para duas regiões na Itália ainda não tocadas pelo turismo de massa: Umbria e Marche (a Umbria seria o coração da Itália; não tem acesso ao mar e não faz fronteira com nenhum país). Prepare-se para cidades medievais ainda intactas, vinhos Orvieto, Torgiano e sagrantino di Montefalco (os vinhos da região), oliveiras e paisagens bucólicas e colinas tão belas quanto as da Toscana. É só me acompanhar, em tempo real, nos stories  e nas fotos postadas no perfil @iwashitashoichi no Instagram.

Untitled-3

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


SIGA A SIMONDE

Interaktiv