Cipriani: Dos hotéis míticos do mundo, o mais completo de Veneza (e um sonho de hotel)

Giudecca 10

na ilha de Giudecca

10 quilômetros do Aeroporto Marco Polo

4 quilômetros da Estação de Trem Santa Lucia

CEP 30133

39 (0) 41 / 240-801

42 quartos + 53 suítes

Hora do check-in: 15h

Hora do check-out: 12h

Wi-fi gratuito

Restaurantes do hotel: Oro, o restaurante gastronômico; Cip's Club, o restaurante com vista para San Marco; Giudecca 10, no terraço com vista para o lago; e o Porticciolo Pool Restaurant, à beira da piscina.

Bares do hotel: Bar Gabbiano

Serviço de quarto 24 horas

Academia

Spa, Casanova Wellness Centre

Saunas seca e a vapor mistas

Crianças bem vindas

Pets bem vindos

Preço aproximado duas noites e três dias de hospedagem para duas pessoas com café da manhã: a partir de R$ 12.640,00 considerando duas diárias a € 1350 cada, num quarto duplo com vista para o jardim + impostos de 10% (€ 270) + 6,38% do IOF do cartão de crédito (€190) x R$ 4 (taxa de câmbio turismo do dia 25 de maio de 2017).

Aceita todos os cartões de crédito.

Desde 1958

Site, clique aqui

Instagram, clique aqui

Depois de me hospedar no Cipriani em Veneza e no Brenners Park em Baden Baden, eu definitivamente vou precisar criar uma categoria hotéis-míticos-e-com-alma-que-sobreviveram-bem-ao-tempo. Distante na medida certa da confusão claustrofóbica das hordas de turistas em Veneza, o Cipriani é praticamente um oásis que ocupa a ponta da ilha de Giudecca, que dá de frente para San Marco (jantar no terraço de um dos restaurantes do hotel, o  Cip’s Club, com vista para tout Venise  é uma experiência imperdível até para quem não está hospedado, e ainda tem uma das melhores tartes tatin  que já comi na vida; você vê nas fotos no fim da matéria). Mas não só: qual hotel do mundo possui funcionários — há décadas trabalhando lá — que são personagens tão míticos quanto o Cipriani? (O barman  Walter Bolzonella é amigo de várias figuras de Hollywood incluindo o ator George Clooney; e na cidade que abriga alguns dos eventos de arte mais importantes do mundo, as Bienais de Arte e Arquitetura e o Festival de Cinema, espere sempre encontrar uma clientela importante no Cipriani nas aberturas dos eventos). Onde mais — além de dormir em lençóis de linhos impecavelmente passados — você pode pedir pelo serviço de quarto um autêntico tiramisù  veneziano às 3h da manhã? (Uma das histórias que se conta sobre a origem da sobremesa é que o tiramisù  teria sido criado no Vêneto para o famoso escritor-conquistador-libertino-colecionador-de-mulheres  Giacomo Casanova). E em qual hotel de Veneza, você vai encontrar jardins, spa, uma linda e espaçosa piscina olímpica outdoor — a única piscina na Veneza central, cuja água (salgada) está sempre a 29 graus — e o Roberto, o portiere cantor e filósofo que te recebe com um sorrisão assim que você desce do barco?

O luxo do Cipriani, no entanto, não é aquele dos palazzi  venezianos que a gente ama — Loredan, Albrizzi, Pisani Moretta —, com suas fachadas de influências mouriscas, estuque e afrescos cheios de esplendor, pintados pelos maiores artistas de épocas passadas — pense em Tiepolo, Zanchi, Guardi — quando a Serenissima  era uma das repúblicas mais ricas do mundo. Inaugurado em 1958, por Giuseppe Cipriani, o fundador do também mítico Harry’s Bar de Veneza (onde foi criado o Carpaccio e o Bellini), o hotel foi concebido para ser uma casa de amigos, mais informal, e é essa a atmosfera do hotel apesar de todos os caros Murano nos quartos (vasos, luminárias, e uma delicada e belíssima moldura de vidro no espelho do banheiro feita a mão com ouro e prata pelos artesãos das ilhas vizinhas; Murano é um grupo de sete ilhas a três quilômetros daqui). E na suíte Dogaressa, de número 63 (no palazzo  Vendramin, anexo posteriormente ao hotel), um sonho de quarto com vista para a lagoa e o skyline  de San Marco (a maioria dos outros quartos têm vista para o outro lado da ilha ou saem na piscina), você ainda tem na decoração tecidos antigos e originais Fortuny e Rubelli, dois grandes nomes históricos dos ricos tecidos venezianos. Foi com o Cipriani de Veneza que começou a história da Orient-Express, que comprou o hotel do Signor  Cipriani em 1976, rede de hotéis que em 2014 passou a se chamar Belmond, já com mais de 40 propriedades no mundo incluindo vários hotéis históricos como o Copacabana Palace, o Grand Hotel Timeo, o Reid’s Palace e o trem Orient-Express, cuja jornada termina em Veneza.

Aberto apenas sete meses por ano (de março a outubro), aproveite o delicioso café-da-manhã-com-vista  servido no Oro, o restaurante gastronômico que tem um macarron  Michelin, até às 11h da manhã (no quarto, o café pode ser servido até às 11h30); tome um drinque na piscina no fim da tarde; e use e abuse do barquinho de madeira com estofados de veludo do Cipriani, que tem um píer próprio a alguns passos da Piazza San Marco e do Harry’s Bar (o trajeto dura apenas cinco minutos), que te busca e leva a qualquer hora do dia, da noite ou da madrugada (é só usar o telefone do ponto e pedir para te buscarem), porque, além das vistas, não há meio de locomoção mais charmoso.

COMO CHEGAR AO BELMOND HOTEL CIPRIANI

hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-1Se locomover em Veneza é sempre um desafio para os não iniciados. O Cipriani fica numa ilha, a Giudecca, e para ir do aeroporto Marco Polo [VCE] para o hotel, você pode 1. organizar o transfer  de 40 minutos com um barco só para você com o hotel (calcule € 200) ou 2. pegar um barco público do aeroporto até a Piazza di San Marco  pagando 15 euros (mas o trajeto é de 90 minutos) e de lá pegar o barco exclusivo do Cipriani que faz o trajeto 24 horas por dia entre San Marco e o canale della Grazia, onde fica a entrada do Cipriani (para já entrar no clima do hotel antes mesmo do check-in ). Atenção: são uns dez minutos a pé entre a área de desembarque do aeroporto até o píer de onde saem os barcos-táxi. Assim, se você estiver com muitas malas, é bom negociar um táxi para fazer esse trajeto.  Na foto, a ponta de Giudecca ocupada pelo hotel Cipriani (o jardim lindo também é do hotel). 

LEIA TAMBÉM:

— T Fondaco Dei Tedeschi: Vista de tirar o fôlego de Veneza no posto comercial que resgata a história da Serenissima

— O guia definitivo do tiramisù em SP, como deve ser, onde comer e o que tomar junto

— As viagens mais incríveis de volta ao mundo, por ar, por terra e por mar

hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-6Chegando ao Cipriani depois de aterrissar no aeroporto Marco Polo. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-7Descendo do barco-táxi, sendo recebido por Roberto, com vista para a igreja de San Giorgio Maggiore. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-8O meu quarto, número 33, uma Poolside Junior Suite com terraço privativo e acesso direto para a piscina. Neste móvel em frente à cama, fica a televisão (uma delícia ver TV com a tela tão próxima da cama). Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-9Sofá, mesinha com mimos de boas vindas (também tem uma mesa de trabalho com tomadas de todos os tipos) e as portas que levam para o terraço. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-10Banheiro com vasos Murano, parte de mármore (mármore do chão ao teto só nas suítes mais importantes). Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-11Amenities by Bulgari e Molton Brown. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-3Foto de outro quarto. Imagem: Divulgação hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-15O jardim por onde você acessa o spa. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-16Todo o conforto e proteção do vento, da chuva e do frio, no barco de madeira que faz o trajeto entre o hotel a Piazza San Marco a qualquer hora do dia e da noite. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-18Na Piazza San Marco, o píer exclusivo do Cipriani. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-26O barco ancorado no píer esperando hóspedes e visitantes do hotel. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-19À noite, é só pegar o telefone e pedir para o hotel te buscar na San Marco. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-13A academia. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-14Pesos livres! Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-12Aí, você encontra no vestiário da academia escovas de dentes biodegradáveis e sua pasta de dentes favorita. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-20Depois do ótimo jantar no Cip’s Club, um dos restaurantes do Cipriani, uma das melhores tartes tatin que eu já provei, com sorvete de baunilha. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-21Chegando no quarto com o turndown service feito e a TV levantada (ela fica escondida no móvel). Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-22Na mesa ao lado da cama, água e a previsão do tempo para o dia seguinte. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-23Café da manhã incrível servido no salão do Oro, o restaurante gastronômico do Cipriani. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-24Gosta de mel? In natura direto dos favos e de várias procedências. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-25 Sucos e pratos quentes são preparados na hora. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-27Jantar no restaurante Oro, um macaron Michelin, do chef Davide Bisetto, com excelente adega. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-28Frutos do mar são abundantes na gastronomia veneziana. Excelente risotto  com sardinha. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-29Depois de um menu-degustação e um delicioso carrinho de queijos, que tal chocolate pós-sobremesa? Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-30O lustre do restaurante Oro, caindo de um teto folheado a ouro. Murano, claro. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-31Ambiente do salão à noite. Para variar, fomos os últimos a sair. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-32Caixa de chaves antiga. Amo. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-33 Um dos ambientes do lobby. Imagem: Shoichi Iwashita hotel-cipriani-veneza-venezia-belmond-italia-hoteis-miticos-luxo-1000-34Indubitavelmente, um dos melhores bares do mundo. Imagem: Shoichi Iwashita

Arte-Banner-Instagram-Divulgacao-10

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com