Mandíbula

Praça Dom José Gaspar 106, 2º andar

com a Avenida São Luís

dentro da Galeria Metrópole

Centro

Metrô República

(Linhas Vermelha e Amarela)

55 11 / 3129-3556

Preço aproximado por pessoa: R$ 40, considerando cerveja Sol R$ 8 + gin tônica de Hendrick's com pepino R$ 28 + café filtrado R$ 4 = R$ 40

Aceita todos os cartões de crédito.

Segunda:

Fecha

Terça a sábado:

Das 14h à 0h (para entrada no Mandíbula)

Domingo:

Fecha

Dress code:

Casual hipster

25 lugares sentados

Na São Luís não tem estacionamentos próximos, mas você pode deixar o carro com os manobristas do Ramona, que fica do outro lado da rua, em outra faixa da São Luís (separada por um canteiro central)

Desde 2014

Site, clique aqui


Visualizar SaoPaulo_Simonde em um mapa maior

As comidinhas do Ramona, os livros da Biblioteca Mário de Andrade, as festas no Grand Metrópole, a cervejinha na praça no Paribar, os drinques-com-vista no Terraço Itália e, agora, o Mandíbula, colocam definitivamente esse quarteirão da Avenida São Luís — e, particularmente a Praça Dom José Gaspar — no nosso mapa. No segundo andar da Galeria Metrópole, o Mandíbula (adoro esse nome) é um espaço que mistura café (sempre filtrado ou na prensa #noespresso), bar (cervejas e drinques) e uma bela coleção de vinis, à venda (com preços que variam de R$ 20 a R$ 300; os discos mais raros levam simpáticos post-its  explicando por que aquele vinil é especial).

No cardápio, cervejas como Heineken e Sol, cervejas artesanais e drinques bem preparados, como o Negroni e duas já famosas versões de gin tônica: uma com Tanqueray e limão siciliano e outra com Hendrick’s e pepino. Pra comer, amendoins, azeitonas e burekas — uma rosquinha de massa folhada típica do Leste Europeu — com várias opções de recheio (batata com cebola, carne com beringela, espinafre com queijo) e servidas num filtro de café de papel. Basta chegar no balcão, abrir uma comanda com o seu nome (que fica no bar) ou pagar direto a cada pedido.

Com DJ ou sem DJ, a trilha sonora rock  é ótima. Dá pra se sentar no bar, em um sofázinho Chesterfield de dois lugares ou numa mesa coletiva que fica no corredor da galeria que dá para um belo terraço com vista para a Avenida São Luís, onde as pessoas fumam. Para ficar perfeito quando as lojas fecham (a Galeria fecha a última portinhola para entrada à meia-noite, mas os clientes podem ficar até altas horas no Mandíbula) a luz forte e branca dos corredores deveria ser diminuída. Mas os sócios já conversaram com o condomínio e não teve jeito. De qualquer forma, o Mandíbula é mais uma opção jovem de se aproveitar o centro da cidade do jeito que a gente gosta.

Parar o carro na região pode ser um problema. Um dos jeitos mais fáceis é deixar o carro com os manobristas do Ramona e atravessar a rua, que é logo em frente.


Visualizar SaoPaulo_Simonde em um mapa maior

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com