Navios com lounges debaixo da água com vidros para observação é a novidade da Ponant #publi

O Blue Eye é o nome dos lounges submersos e multissensoriais que estarão presentes nos quatro navios a serem lançados pela Ponant entre 2018 e 2019

Séculos atrás, explorar as paisagens mais inóspitas do planeta era só para aventureiros com a coragem de partir com grandes chances de não voltar. Até há pouco tempo, era viajar sem grandes riscos, mas abdicando de qualquer conforto ou sabor. Já hoje é estar na Antártica, o continente mais frio e seco da Terra, no conforto de um hotel cinco estrelas flutuante, em sua cabine com varanda elegantemente decorada, a poucos passos de um spa  Sothys (uma das marcas de cosméticos que mais amo), restaurantes que servem o melhor da gastronomia francesa — que levam a consultoria de Alain Ducasse, o mais estrelado dos chefs  franceses —, palestras com biólogos, sem deixar de se aventurar nos Zodiacs, pequenas lanchas que levam para a terra, ter contato com os animais — a uma temperatura de 40º C negativos — e se deslumbrar com icebergs  gigantescos e o silêncio absoluto — e quase ensurdecedor — daquelas paisagens. Ou seja, o melhor dos dois mundos.

E se os quatro megaiates da Ponant, a única companhia de cruzeiros do mundo a portar a bandeira francesa, já oferecem a melhor experiência em destinos como o Alasca e o Ártico, as ilhas da Polinésia e do Caribe, sem deixar de visitar os principais portos da Ásia e da Europa, os próximos quatro megaiates — todos iguais e com apenas 92 cabines — que serão lançados entre 2018 e 2019, prometem deixar a experiência ainda melhor; e inesquecível. Isso porque o Lapérouse, o Champlain, o Bougainville  e o Dumont d’Urville  (os navios levam os nomes de exploradores históricos franceses), além da piscina de borda infinita e da marina modulável (você sai da embarcação já com o jet-ski  — pronto também para esquiar na água —, o caiaque, o stand-up paddle  ou para mergulhar), eles vão contar com lounge  Blue Eye: um salão submerso e multissensorial com duas enormes portinholas iluminadas para observação submarina no formato do olho dos cetáceos (a família das baleias, golfinhos e botos), três telas digitais que vão reproduzir as imagens ao vivo capturadas por três câmeras aquáticas de alta definição posicionadas em locais estratégicos do navio e ainda sons criados a partir de uma pesquisa de sons subaquáticos que poderão ser “sentidos” nos sofás Body Listening do lounge, através da ressonância corporal, colocando os passageiros em harmonia com os ciclos naturais dos oceanos. Tudo isso sem nenhum risco para a biosfera marinha.

Dizem que os golfinhos adoram brincar com as ondas que os navios provocam quando estão navegando, as chamadas bow waves. E, a partir de 2018, você vai poder apreciar este espetáculo não só de cima, mas estando ao lado deles nos novos lounges Blue Eye da Ponant.

E já dá para reservar várias opções de rotas tanto no Lapérouse quanto no Champlain para 2018, a partir de US$ 2.900 por pessoa, num cruzeiro de sete dias. {É só clicar aqui e fazer a sua reserva}.

LEIA TAMBÉM:

— Cruzeiros de luxo: os megaiates franceses da Ponant #publi

— Cruzeiros fluviais: Quando o foco não é só o navio, mas também os destinos #publi

— Galápagos: Como conhecer as ilhas que inspiraram uma das ideias mais revolucionárias da história #publi

— EVITE: Cruzeiros em navios cada vez maiores

Arte-Banner-Instagram-Divulgacao-10

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com