Qual o modelo correto do iPhone 8 comprar nos Estados Unidos e quanto ele custa com os impostos?

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Para atender às diferentes tecnologias utilizadas pelas operadoras de telefonia celular do mundo (CDMA, GSM, e todas as diferentes frequências), a Apple lança vários modelos de iPhone; que são idênticos por fora. E, dos três modelos de iPhone 8 lançados recentemente (mais três do iPhone Plus), apenas um foi homologado pela Anatel, e só ele funciona no Brasil: o A1905 (e no caso do iPhone 8 Plus, o A1897). É esse número que você deve levar à loja da Apple no exterior para comprar o telefone correto. E um teste que você pode fazer na hora é já colocar o seu chip brasileiro (o nano-SIM, esse tamanho de chip  que a gente já usa desde o iPhone 6) no aparelho novo — tudo bem que eles só vão deixar você abrir a caixa e fazer isso depois do pagamento feito — e ver se ele encontra a rede da AT&T (no meu caso, já que a AT&T é a operadora americana com quem a TIM, minha operadora de celular no Brasil, tem contrato de roaming nos EUA).

VALE A PENA COMPRAR O IPHONE 8 NOS ESTADOS UNIDOS?

qual-modelo-de-iphone-8-comprar-no-exterior-nos-estados-unidos-1100-2Outra informação importante é que para funcionar no Brasil ele precisa estar desbloqueado (unlocked, SIM-free), sem nenhum desconto por estar atrelado a uma operadora de telefonia local. Por isso você vai precisar pagar sempre o preço cheio, e mais alto: Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Compras em viagens

Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 305 Notice: Undefined variable: site in /var/www/wp-content/plugins/adrotate-pro/adrotate-output.php on line 398

Apesar de sabermos que pesquisar preços pode nos economizar MUITO dinheiro ao longo de um período de tempo, quando se está viajando fica difícil querer levar isso ao pé da letra, já que temos um fator restritivo importante: o tempo (ninguém mais fica meses viajando como era comum algumas décadas atrás). Em marcas globais e livrarias, por exemplo, se você encontrar exatamente aquilo o que você quer, no seu tamanho, compre: quando o seu roteiro inclui várias cidades, é preciso saber que nem todas as lojas, nem todas as livrarias possuem exatamente os mesmos produtos por mais que elas sejam da mesma empresa. Por isso, deixar para comprar no próximo destino é quase sempre uma aposta arriscada. No máximo, faça uma busca usando o celular, que, hoje, é a grande ferramenta para pesquisas in loco. Quando se gosta de um produto, melhor comprar onde estiver. Ou então, perceber depois que aquilo não era realmente tão necessário. ;-)

O melhor mesmo é fazer uma pesquisa ANTES de viajar. Por conta dos impostos, a diferença de preço entre países para os mesmos produtos pode ser grande.

Alguns exemplos:
— Eletrônicos e gadgets no Japão não custam barato (apesar de todo mundo pensar o contrário); o melhor lugar é Nova York ou Miami.
— Produtos Bose, apesar de ela ser uma marca alemã, são mais baratos em Nova York que na própria Alemanha.
— Ralph Lauren, compre em Nova York. Na Europa, o preço do mesmo sweater de cashmere  pode ser até 30% mais caro.
— Já as marcas de luxo francesas, compensa mais comprar na França do que nos Estados Unidos. Além de ser um pouquinho mais barato, você ainda recebe os impostos de volta (tax free, a partir de 10%) quando sai da Europa.
— E é sempre bom lembrar: buy local. Coma queijos e vinhos franceses em Paris (vinhos chilenos na França são caros), compre sabonetes, cosméticos e mimos locais. É sempre mais legal, principalmente, se eles não existirem no Brasil.

Se você tiver alguma dica ou experiência para compartilhar, utilize o box de comentários abaixo! ;-)

São Paulo, 14 de agosto de 2013.

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


SIGA A SIMONDE

Interaktiv