Restaurantes vegetarianos e vegetarian-friendly em São Paulo

Com tantas denúncias sobre o excesso de agrotóxicos nos alimentos e os impactos extremamente negativos da pecuária no mundo (ou mesmo por consideração aos animais), existe uma tendência grande nos países desenvolvidos ocidentais de priorizar ingredientes orgânicos, locais, sazonais, e reduzir — ou mesmo abolir — o consumo de carne e outros produtos derivados de animais. Do Burger King, que lançou um sanduíche vegetariano, a grandes restaurantes do mundo que já propõem menus livres de carne (Per Se e Daniel, em Nova York; o Alvin Ailey e Greenhouse, em Londres; o Lucknam, em Bath; L’Arpège e Alain Ducasse, em Paris; e o DOM em São Paulo), nós também estamos cada vez mais procurando entender os impactos que nossos hábitos de consumo causam no mundo — e sobre a nossa saúde — e descobrindo os sabores vegetais {confira as nossas considerações na matéria Comer carne: é preciso reconsiderar?, clicando aqui}. Em São Paulo já são muitos os restaurantes vegetarianos, mas nesta lista, você conhece os restaurantes vegetarianos e vegetarian-friendly (ou seja, que até tem carne no cardápio mas conta ou com boas opções vegetarianas e até veganas) no estilo Simonde, que a gente conheceu, gostou, voltou e frequenta (porque, né, a gente também come com os olhos). Endereços tão deliciosos onde nem mesmo carnívoros sentirão falta da carne.

É só uma pena que quase todos os restaurantes 100% vegetarianos paulistanos só abram para almoço (é como se vegetarianos e veganos não jantassem) e que os restaurantes totalmente veganos tenham tanta fritura, o que deixa o almoço pesado. Espero que mude com o tempo…

{E para a próxima atualização, aguarde nossos comentários sobre a charmosa e impecável Enoteca Saint-Vin-Saint (acho que o único restaurante 100% orgânico de São Paulo) e também sobre a Urban Remedy, uma opção fast-food plant-based  de saladas prontas e sucos prensados a frio — com apenas três dias de validade — em vários endereços da cidade.}

S SIMPLESMENTE [Vila Madalena] Buffet vegano, só almoço e brunch, preço fixo

s-simplesmente-vila-madalena-pinheiros-organico-brunch-pao-sem-gluten-granola-1200-14 s-simplesmente-vila-madalena-pinheiros-organico-brunch-pao-sem-gluten-granola-1200-10 A S Simplesmente é desses lugares deliciosos onde você não precisa se preocupar se pode ou não comer algo (sabe quando nos restaurantes você fica aqueles 30 segundos mexendo a panela para ter a certeza de que não tem nenhum pedacinho de bacon  escondido ali?): tudo aqui é zero carne, zero glúten, zero lactose, ou seja, nenhum derivado de animais, logo, vegano; com mais de 80% de ingredientes orgânicos e tudo plant-based, para usar o termo que define esse movimento. A lojinha com opções de saladas, excelentes granolas e pães, mais sucos, geleias e sobremesas funciona de segunda a sábado das 8h às 16h (apesar de pode levar, dá para comer lá mesmo), mas para o almoço servido em estilo buffet, a apenas R$ 39 por pessoa Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Taiti e suas ilhas: Por que o cruzeiro Paul Gauguin oferece a mais completa experiência da Polinésia Francesa #publi

Se você tiver oito dias de viagem em solos taitianos (é preciso considerar que se passa um dia no avião para chegar lá e outro dia para voltar), fazer um cruzeiro pelo Taiti e suas ilhas é o jeito mais confortável, seguro (tem médico e enfermeiros sempre a bordo; sempre fico um pouco apreensivo quando estou nessas ilhas muito isoladas) e mágico de explorar suas águas turquesa, essas que são, junto com a cultura polinésia, os grandes motivos da viagem. Estando em uma embarcação, tudo o que você precisa fazer é acordar pela manhã e abrir as cortinas da cabine para ser surpreendido, a cada dia, por uma nova e diferente paisagem (ainda mais em um navio pequeno especialmente desenhado para as águas rasas do arquipélago, com capacidade de explorar cantos escondidos e impossíveis de serem acessados se você estiver parado em um hotel ou em navios maiores).

Embarcando sempre em Pape’ete, a capital da ilha do Taiti por onde chegam os voos internacionais, uma das opções de cruzeiro de sete noites da Paul Gauguin passa por Huahine, a Ilha Jardim, Taha’a, a Ilha da Baunilha, fica dois dias  em Bora Bora, a Joia dos Mares do Sul, e ainda dois em Mo’orea, a Ilha Mágica, sem precisar fazer check-in  e check-out  de hotel, sem precisar pegar voos, transfers  e enfrentar aeroportos (achei o Ver Mais →

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


SIGA A SIMONDE

Interaktiv