The Nomad Restaurant


Ver NewYork_Simonde num mapa maior

Quando entrei no Nomad, foi paixão à primeira vista. O hotel-e-restaurante que leva o nome do bairro onde está situado (NOrth of MADison Square Park) é aconchegante e faz a gente se sentir em casa – e no Costes (até saber que a decoração elegante em clima de boudoir – sooo French – era assinada pelo mesmo Jacques Garcia, que também decorou o Costes lá no comecinho dos anos 1990; explicado). Tanto o Costes como o Nomad são hotéis AND restaurantes de único nome. Mas, enquanto o Costes está numa localização incrível em Paris (na Saint-Honoré com a Place Vendôme) e o Nomad meio isolado entre downtown  e uptown, entre o leste e o oeste da ilha, o Nomad ganha de longe em outro quesito: comida. Quem comanda o restaurante é o chef  suíço Daniel Humm, do Eleven Madison Park (a três quadras daqui), um três macarons  Michelin que é um dos melhores restaurantes da cidade.

O cardápio é enxuto do jeito que a gente gosta – alguns snacks, oito opções e de entradas e oito opções de principais – e são temáticos: entre as entradas você tem “alho”, “atum”, “ovo”, “timo de cordeiro”, “foie gras”; entre os principais “cenoura”, “vieiras”, “lagosta”, “pato”. Apenas peça o que você tiver vontade de comer no dia e aproveite; tudo é impecável Ver Mais →


Ver NewYork_Simonde num mapa maior

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


Eleven Madison Park


Ver NewYork_Simonde num mapa maior

Assim como o Gordon Ramsay da Royal Hospital Road  em Londres, o Eleven Madison Park é a quinta-essência gastronômica de Nova York: fica em frente ao Madison Square Park (e no MEIO, entre uptown  e downtown, entre o oeste e o leste de Manhattan); o salão dramático tem pé-direito alto com grandes janelas (bem bonito na hora do almoço com a luz do dia); fica num prédio art-déco que parece ter saído de Gotham City; é fun and entertaining – talvez herança do showbiz  norte-americano -; e o serviço é mais solto, menos formal que em outros restaurantes gastronômicos na cidade (como Per Se, Jean-Georges ou Le Bernardin) mas ainda assim muitíssimo profissional (e como é sempre bom ser atendido por pessoas que entendem muito de comida e bebida).

Quanto à comida, não são todos os pratos que fazem você querer comer novamente (eles perguntam se você tem alguma restrição no início da refeição e preferem fazer surpresa sobre o que será servido no menu-degustação, ou seja, você não tem a menor noção do que será servido no dia). Mas considerando o cozimento perfeito de cada produto utilizando a técnica francesa (nunca comi um pato assado tão incrível na vida: carne macia e pele crocante, que o cozinheiro faz questão de, antes de servir, desfilar com ele ainda na panela pelas mesas do salão), o rigor na escolha e procedência dos ingredientes – Ver Mais →


Ver NewYork_Simonde num mapa maior

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com


SIGA A SIMONDE

Interaktiv