Cara simplicidade em Nantucket

Os VVRP (very, very rich people ) do nordeste americano (ou seja, os mais ricos da América) se dividem em duas facções quando o assunto é férias: há aqueles que preferem o agito dos Hamptons e tem aqueles que preferem a calma e a simplicidade de NantucketPraias desertas, chão de pedra, casas de telhas de madeira cinzas, bicicletas, vegetação rasteira, amplitude (soooo Ralph Lauren ): assim é Nantucket, uma ilha pertinho de Boston e Nova York, vizinha de Matha’s Vineyard, de apenas 123 quilômetros quadrados, e um dos metros quadrados mais caros do estado de Massachusetts.

Nantucket já atraía os abastados desde o século 18, quando os donos dos navios que caçavam baleias (atrás do seu caro óleo) moravam na ilha (o clássico Moby Dick começa aqui), e continua até os dias de hoje: os ricos dominam o lugar. Em Nantucket, a sensação de privacidade e a de que o turismo de massa não existe compensa a viagem.

O charmoso centro da cidade tem restaurantes – dos informais aos mais importantes; sempre com ingredientes fresquíssimos –, lojinhas, galerias de arte, floriculturas, livrarias e mercadinhos, que nos fazem sentir como se em uma cidade de bonecas. Aproveite para explorar a ilha de bicicleta.

Mas, não pense que as coisas são baratas. Em Nantucket, paga-se caro pela simplicidade.

Serviço

Para chegar lá, você pode tomar um vôo de 45 minutos saindo de Boston pela Cape Air (num aviãozinho pequenino, onde até você tem de informar seu peso, e não vale mentir!) ou então, se estiver de carro (o meio mais fácil de se chegar se você estiver em Nova York; meio contramão ir de avião), uma balsa que sai também de Hyannis para Nantucket.

O melhor hotel da ilha é o The Wauwinet, um hotel Relais & Châteux isolado num dos extremos da ilha com um ótimo restaurante.

Para mais informações sobre a ilha, visite o site nantucket.net.

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com