Courchevel: A melhor região e como escolher o seu hotel

O hotel palácio Les Airelles no Jardin Alpin, vizinho de outro palácio, o Cheval Blanc, do Grupo LVMH. O hotel parece uma casa de bonecas inspirada no Quebra-Nozes.

A primeira coisa na qual você precisa se atentar antes de definir o hotel é o seu nível de esqui. Quase todos os hotéis e chalés em Courchevel 1850 são ski in ski out  (têm acesso direto às pistas, sem a necessidade de andar ou pegar carro), mas não adianta ser ski in ski out  se você tiver de pegar uma ladeira íngreme — com o risco de perder o controle da velocidade e se espatifar — para chegar à Croisette, o local central onde ficam os instrutores e de onde saem os teleféricos para todas as pistas, de todos os níveis, de Courchevel e dos Três Vales. Por isso, informe-se antes sobre o nível de dificuldade da pista na saída do ski room  do hotel e a distância do hotel até a Croisette (pergunte se eles têm carros disponíveis, ou navettes, que possam te levar pra lá). Se você for iniciante e se hospedar num hotel ao lado de uma pista azul (o segundo nível de dificuldade, depois do verde, que é o mais fácil), com algumas ladeirinhas assustadoras, não tem jeito: vai ser melhor ir andando com suas botas e carregando os esquis e os bastões no ombro até a Croisette para se encontrar com seu instrutor e, de lá, pegar o teleférico para as pistas mais fáceis. Por isso, se você for iniciante ou nunca tiver esquiado antes, o melhor mesmo é se hospedar pertinho da Croisette, onde ficam também as lojas de aluguel de esquis.

Na região da Croisette, o centrinho de Courchevel, você vai encontrar hotéis mais acessíveis e a nossa dica é o Hôtel des 3 Vallées, que é ski in ski out, mas fica a cinco minutos a pé da Croisette {leia tudo sobre o hotel, clicando aqui}. É do ladinho do hotel que ficam também ótimos restaurantes como o Chabichou (dois macarons  Michelin), o charmosíssimo e intimista Le Genépi e as crêpes  do Tremplin, e todas as principais lojas da estação de esqui.

DavidAndre-vuesstations-26-SkiInSkiOut-1200Em Courchevel 1850, praticamente todos os hotéis e chalés são ski in ski out, com acesso direto às pistas. Imagem: Divulgação | David André

ESTILO PARA TODOS OS GOSTOS

Não existem albergues em Courchevel 1850. Tampouco hotéis de uma estrela. Mas tem três hotéis Palace, 16 hotéis cinco estrelas, 7 hotéis quatro estrelas, 3 hotéis três estrelas e apenas 2 hotéis duas estrelas (só por esses números já daria para traçar um perfil do público da estação). E o investimento em melhorias para atender à sua clientela internacional e exigente é constante: de todos esses hotéis, apenas cinco ficam abertos o ano todo; os outros fecham no fim de março ou abril para reformas e só reabrem em dezembro.

Além da excelência no serviço (você pode se surpreender mesmo nos estabelecimentos mais simples; até num dos dois hotéis duas estrelas tem máquina Nespresso em todos os quartos, coisa que geralmente só hotéis de luxo oferecem), o vilarejo alpino tem uma oferta de hotéis de estilos bastante abrangente: vai do hotel super design  que lembra uma boate moscovita a um hotel cinco estrelas com quartos de decoração de gosto duvidoso (incluindo cadeiras de plástico nos terraços), passando por hotel Palace com lojas Louis Vuitton e Fendi na entrada (tudo o que eu não  procuro nas férias em um vilarejo de montanha é me hospedar num hotel com lojas de grife mega iluminadas gritando no lobby; mas, tudo bem, o hotel pertence ao conglomerado LVMH e é o Yannick Alléno, chef  pelo qual eu sou apaixonado, que assina a comida do restaurante principal). Aqui na Simonde, a gente prefere hotéis que tenham mais aquela cara da montanha: aconchegante, cheio de madeiras, cores quentes e lareiras.

QUANTO CUSTA? MAIS EMBAIXO, MAIS BARATO

Para se hospedar em Courchevel 1850, altitude máxima, onde ficam todos os restaurantes e a vida mais animada — e chique — da montanha, calcule de € 220 por dia num hotel três estrelas com o café da manhã incluído a € 1400 por uma noite num hotel Palace. Se você quiser algo mais em conta, também tem muitas opções, de hotéis a chalés e apartamentos, e é só procurá-los numa altitude mais baixa na montanha. Em Courchevel 1650, por exemplo, você vai pagar tudo mais barato e com seu ski pass, vai poder pegar o teleférico todos os dias e subir para 1850. Em 1650, você só não vai encontrar a oferta de restaurantes, bares e serviços que estão em 1850.

OS HOTÉIS-PALÁCIO

Dos oito hotéis Palace fora de Paris, três ficam em Courchevel: o K2, o Cheval Blanc e o Les Airelles. O espaçoso K2 fica em Cospillot, na encosta de uma montanha com uma vista linda para o vale, e o Cheval Blanc e os Airelles são vizinhos, em Jardin Alpin, um pouquinho distante da Croisette (você pode descer de esquis para lá ou então ficar por lá mesmo, já que as pistas de Jardin Alpin estão ao lado da área para iniciantes e do Family Park ; é só sair do hotel e pegar um téléski, um apoio que você coloca entre as pernas e que vai te puxando enquanto você esquia montanha acima; e se você quiser ir para a Croisette, todos os hotéis oferecem serviço de navette: vans que te levam e te buscam em qualquer lugar de Courchevel 1850; no Les Airelles, o serviço é gratuito para os hóspedes). E mesmo que você não se hospede num hotel Palace, não deixe de frequentar seus chás da tarde, seus spas  (abertos a não-hóspedes) e seus restaurantes. 

LES AIRELLES [Jardin Alpin] Hotel Palace charmoso e romântico

Les-Airelles-1200-1 Les-Airelles-1200-2Dos três hotéis Palace de Courchevel, é o mais antigo e o mais charmoso (e bem mais bonito visto da pista de neve Jardin Alpin do que da rua, cheia de carros estacionados em frente). Com inspiração no Império Austro-Húngaro do século 19, o Les Airelles parece uma casa de bonecas à la  Quebra-Nozes com paredes externas repletas de motivos pintados em tons pastéis (com um lindo trabalho de marcenaria nos terraços) e, em alguns momentos, nos faz sentir num hotel da Disney, com todos os funcionários vestidos com roupas típicas savoyardes  (não se esqueça de que Courchevel está na Savoia), produzidas sob medida em Salzburg, na Áustria. Tem sete restaurantes, incluindo o incrível terraço ao ar livre La Table du Jardin Alpin e uma filial do chef  Pierre Gagnaire (com dois macarons  Michelin). E é seguramente um dos mais belos hotéis de montanha do mundo. Assim como em outros hotéis Palace, o serviço de esqui é impecável: na hora de esquiar, suas botas estarão aquecidas; seus esquis já estarão prontos para serem usados na pista, ao lado de uma bandeirinha com o número do seu quarto; e você será recebido na volta com um chá ou chocolate quente. Tem 37 quartos, 14 suítes e um apartamento de 550 metros quadrados. Mas cuidado pois apesar de caríssimo tem apartamentos com apenas 18 metros quadrados. Esse quarto pequenino sai por € 1100 a diária, mas com o café da manhã e almoço ou jantar incluso. Se quiser um quarto com 32 metros quadrados, o preço sobe para € 2200. O serviço de navette  é gratuito. Les Airelles, Jardin Alpin, telefone + 33 (0) 47900-3838 Para acessar o site, clique aqui.

CONFIRA TAMBÉM:

— Courchevel: Como uma vila construída no nada se tornou uma das estações de esqui mais luxuosas do mundo

— Courchevel: Quando ir e a melhor maneira de se chegar lá

— Courchevel: Hôtel des 3 Vallées, hotel design bem no centrinho do vilarejo

— Courchevel: Preparação completa para o esqui (aluguel, ski pass, instrutores)

— Courchevel: A gastronomia savoyarde e duas dicas de restaurantes que não custam uma fortuna

Arte-Banner-Instagram-Divulgacao-10

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com