O guia definitivo dos melhores cafés de São Paulo

Uma xícara de café feita com um nanolote de Bourbon amarelo da Wolff, extraído com aeropress, no Café Torra Clara, em Pinheiros, um dos nossos cafés preferidos em São Paulo

São Paulo não seria a maior e mais rica cidade da América do Sul se não fosse por essa bebida nossa cada dia: o café. Foram os lucros com a plantação e exportação dos grãos de café cru para o mundo que financiaram as estradas de ferro, a imigração, a industrialização e a fortuna de muitas famílias.

E assim como os sorvetes {para conferir o nosso guia com os melhores sorvetes da cidade, clique aqui}, enfim, na cidade de São Paulo podemos provar os melhores grãos de café — todos brasileiros; todos 100% arábica: Bourbon ou Catuaí, amarelos ou vermelhos — nos endereços que frequentamos e que figuram nesta lista. Apesar de a maioria deles oferecerem mais de uma opção de grão (geralmente de microlotes), a regra é a mesma: para provar os cafés especiais você terá de pedir pelos métodos coado, aeropress ou prensa francesa, entre outros. Para espresso, a escolha é limitada: só tiram usando o grão do dia ou o blend da casa. Mas cada um dos cafés a seguir — alguns são ótimos lugares para ler ou trabalhar — possui história, cardápio e identidade bem próprios (tirando o Little Coffee Shop, todos têm mesas, cadeiras — alguns, poltronas — e wi-fi ). Confira a nossa seleção e não deixe de conhecê-los e frequentá-los:

COFFEE LAB [Vila Madalena] Pedidos no balcão, servem na mesa

SONY DSC Como boa escola e laboratório de café que é, o CoffeeLab é o melhor lugar para você aprender sobre café. Diferentemente de todos os outros cafés da nossa lista, com exceção do espresso, todos os métodos (coado, aeropress) são preparados por baristas, na mesa, na nossa frente, com direito a explicações sobre a procedência dos grãos (as seis opções de grãos vêm ou de Minas Gerais ou do Espírito Santo) e esclarecimento de dúvidas. E não deixe de fazer, vez ou outra, um dos doze rituais, quando você consegue fazer comparações entre cafés, métodos e harmonizações propostos pela proprietária e uma das maiores especialistas do Brasil, Isabela Raposeiras. Como comidinhas, coisinhas simples mas bem feitas, como bolo de milho, tostex de queijo Minas, e você tem de se levantar para fazer o pedido na cozinha. Cafés entre R$ 5 (espresso curto) e R$ 13 (Catuaí 81). Rua Fradique Coutinho 1340, quase esquina com a Wisard, 11 3375-7400. Segunda a domingo, das 10h às 20h. Saiba mais sobre o Coffee Lab na nossa matéria exclusiva, clicando aqui.

ISSO É CAFÉ [Paulista] Pedidos e serviço no balcão, mas com mesas

SONY DSC Atrás do MASP, dentro do Mirante Nove de Julho, uma das melhores novidades de São Paulo em 2015, o Isso É Café, assim como o Octavio (abaixo), serve ótimos grãos produzidos em fazenda própria, a Fazenda Ambiental Fortaleza, fundada em 1850 no interior paulista, e já na quinta geração da mesma família. Os grãos são torrados por eles mesmos, e o café, nas opções espresso  ou coado, custa R$ 5. Já o café especial do dia (coado), que pode ser um catuaí vermelho, por exemplo, custa R$ 9 (de vez em quando, você também pode provar grãos especiais de famosos cafés estrangeiros, como queniano, iemenita ou salvadorenho; mais caros). Você pede no balcão e eles te chamam pelo nome para buscar o pedido, e nos fins de semana, por causa da lotação, fazem o serviço todo em copinhos de papel (mas sempre peço em xícara de porcelana e eles são sempre gentis). Aí, é só tentar encontrar uma mesa, um banco ou sentar-se na escadaria que dá acesso ao Mirante e observar a vista para a Avenida Nove de Julho. Perfeito para um combo visita ao Masp + café da tarde. Rua Carlos Comenale, sem número, 11 3554-5077. De terça a domingo (incluindo feriados), das 10h às 20h.  Saiba mais sobre o Isso É Café na nossa matéria exclusiva, clicando aqui.

THE LITTLE COFFEE SHOP [Pinheiros] Balcão, na rua, no-frills

the-little-coffee-shop-1200O espresso, você vai tomar num copinho de papel, em pé, na calçada. O Little Coffee Shop, do tamanho de uma cabine de elevador, é o MENOR café de São Paulo (talvez do mundo): um balcãozinho de um metro, que oferece além de café muito bem tirado (coado ou espresso, com grãos vindos de Minas Gerais e torrados no Coffee Lab), fatias de bolo (muda todos os dias), cookies e amêndoas caramelizadas. Para quem está passando pela rua e precisa de uma dose espressa de cafeína durante a semana (não abre aos sábados e domingos). É o espresso mais barato do nosso guia: R$ 3. Rua Lisboa, 357A, Pinheiros, 11 2385-5430. De segunda a sexta, das 12h às 17h30.

SANTO GRÃO [Jardins e Itaim] Pedidos e serviço na mesa

santo-grao-oscar-freireDos cafés, é o mais elegante e confortável. Poltronas de couro e veludo, mesas na altura correta, vitrine para ver e ser visto na Oscar Freire e, no salão interno, pé-direito alto com grandes janelas que dá para uma rua tranquila (meu lugar preferido). Mas pode ficar barulhento quando lotado à noite, já que fecha à 1h ou 2h da manhã, dependendo do dia. Na xícara, você pode escolher para o seu espresso, coado (Hario) e prensa francesa o blend da casa, o Sul de Minas, o Cerrado de Minas, além do orgânico e descafeinado. Também tem cafés especiais de vez em quando: foi aqui que eu provei o café baiano de Piatã (o município mais alto da Bahia, na Chapada Diamantina, premiado há vários anos como o melhor café do Brasil), a R$ 19 o espresso. Quanto às comidinhas: porções pequenas e caras. Café espresso: R$ 5,40. Rua Oscar Freire, 413, na esquina com a Rua Rio Preto, 11 3062-9294. Segunda, das 9h à 1h da manhã; terça a quinta, das 7h30 à 1h; sexta, das 7h30 às 2h da manhã; sábado, das 8h às 2h; e domingo, das 8h à meia-noite.

OCTAVIO CAFÉ [Faria Lima] Pedidos e serviço na mesa

octavio-cafe-2-1120Num dos metros quadrados mais caros da capital paulista, na busy-business Faria Lima, o Octavio é grandioso e confortável: o prédio circular foi desenhado para ser o café, tem estacionamento subterrâneo com serviço de manobrista e todos os grãos vêm da fazenda própria, em Alta Mogiana no Estado de São Paulo. Mas, apesar dos vários métodos de extração — é o café com o maior número de opções: café turco, moka, coado, aeropress, chemex, French press, syphon — que você pode experimentar, não há opções de grãos: para o espresso, eles usam o blend da casa, um Bourbon vermelho, e para os outros métodos eles preparam o café com os grãos do pacote que estiver aberto, que pode ser um Bourbon amarelo ou vermelho. Tudo é preparado no bar e o café já vem na xícara (ou no bule) para a mesa. Tem um cardápio de comidinhas e pratos extenso, mas bastante caro pelo que oferece (prefira os cafés e, no máximo, um belisquete), mas você faz o pedido e é servido na mesa. Cafés entre R$ 6 (espresso) e R$ 20 (syphon). Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2996, pertinho da Cidade Jardim, 11 3074-0110. Segunda a sexta, das 7h30 às 21h30; sábados e domingos, das 9h às 22h.

CAFÉ FLORESTA [Centro] Balcão, no-frills

cafe-floresta-edificio-copan-sao-pauloHá quase 40 anos — intacto — no Copan, esta unidade que nos faz voltar no tempo pertence a uma das mais antigas empresas exportadoras de café de São Paulo (nascida em Santos) e prepara um ótimo espresso para ser tomado no balcão, no térreo do prédio mais emblemático da cidade. Sempre que vou comer no Bar da Dona Onça ou no La Central, é aqui que venho terminar a refeição. O espresso custa R$ 3,50 e o Floresta é a última loja a fechar no Copan. Avenida Ipiranga, 200, loja 21, no Edifício Copan, 11 3259-8416. Segunda a sábado, das 6h30 à 0h30; domingo, das 8h à 0h30.

SUPLICY CAFÉS ESPECIAIS [Jardins] Pedidos no balcão, servem na mesa

suplicy-cafes-especiais-alameda-lorena-1200A máquina de espresso do Suplicy é rosa; e é linda. E é na matriz, na Alameda Lorena, onde é torrado o café que vai para as outras quatro lojas na cidade. Os grãos são comprados direto de produtores do interior de São Paulo e para o espresso, você tem duas opções de grãos: o torra clara e o torra média, ambos 100% arábica, que são os blends da casa. Para o coado e a prensa francesa, além das torras clara e média, você também tem as opções de torra escura e um microlote de café Icatú amarelo. Mas o café coado não é feito na hora, fica numa garrafa térmica e é servido conforme pedido (se você achar que o café não está nas melhores condições, pode pedir para fazer um novo). Cafés entre R$ 5,50 (espresso) a R$ 12 (prensa francesa). Alameda Lorena, 1430, quase esquina com a Padre João Manuel, não tem telefone. Segunda a sexta, das 7h30 às 21h; sábados e domingos, das 8h30 às 21h.

TORRA CLARA [Pinheiros] Pedidos no balcão, servem na mesa

cafe-torra-clara-oscar-freire-pinheiros-1200Só aqui eu encontrei o Naked Espresso (R$ 8), uma das técnicas mais lindas de extração de café que, tirado no balcão num copo de vidro, é visível para o cliente. Sem os bicos de extração que levam o café da máquina para a xícara, a gente consegue enxergar toda a cremosidade do espresso (dizem que o barista através deste método consegue identificar os erros e saber, só pela cor e pela cremosidade, se o café está bom ou não). Do ladinho do metrô Sumaré, o Torra Clara é pequeno, charmoso (tijolos aparentes, aquelas lâmpadas de filamento que estão hoje por toda a parte) e algumas mesinhas não muito confortáveis que, de tão próximas, parecem uma só, comunitária. Tem wi-fi, tomadas e um ótimo nanolote de Bourbon amarelo em torra claríssima do Wolff Café, que vale a pena experimentar. Cafés entre R$ 5 (espresso) e R$ 18 (grão especial por chemex). Rua Oscar Freire 2286, lado Sumaré, quase esquina com a Galeno de Almeida 11 3297-8486. Segunda a sexta, das 8h às 18h30; sábados, das 10h às 15h.

VEJA MAIS


shoichi.simonde@gmail.com